Atitudes para um consumo mais consciente

De uma maneira geral, os brasileiros ainda estão engatinhando no chamado CONSUMO CONSCIENTE, ainda temos um longo caminho pela frente para conseguir mudar os comportamentos, hábitos e posturas em relação ao que consumimos. Mas, já há um movimento, ainda que pequeno, nesse sentido. Para que possamos adentrar de fato no tema, é importante conceituarmos o que é o consumo consciente.

Sabemos que todo consumo gera impactos. Portanto, o consumo consciente, na minha opinião, é aquele que busca reduzir ao máximo os impactos negativos ao meio ambiente, a nós mesmos e aos demais.

E quando falamos em consciência, não temos como deixar de vincular à questão do autoconhecimento, pois eles estão atrelados. Por isso que, a primeira atitude e talvez a mais importante, para um consumo consciente é se AUTOCONHECER. Precisamos conhecer nossos gostos, nossas necessidades, nossos valores para termos uma postura diferenciada.

Consumidores conscientes são aqueles que têm comportamentos ativos para um mundo mais sustentável, tanto dentro quanto fora de casa.

O planejamento das compras é uma atitude que nos faz ser mais organizados e conscientes. Toda vez que compramos por impulso temos a tendência de cair no consumismo, que é o extremo oposto do consumo consciente, trata-se do consumo exagerado. A velha lista de compras não pode ser dispensada na hora de ir ao mercado.

Outro detalhe que faz toda a diferença é só comprar quando há uma NECESSIDADE real. Isso ocorre quando, por exemplo, usamos um objeto, uma roupa, um sapato até o fim da sua vida útil ou quando decidimos doá-lo, estando ainda em boas condições. Uma boa dica é sempre se perguntar, antes de comprar: isso que estou comprando é realmente necessário? Vou realmente usá-lo? Preciso mesmo disso?

Tendo a real necessidade de comprar, opte por comprar produtos locais. Quando se trata da alimentação, por exemplo, comprar de pequenos produtores locais exita toda uma cadeia de desperdício que se tem da produção ao transporte das grandes empresas e ainda conserva mais vitalidade da comida que chega à sua mesa.

Comprar do local é um ótimo estímulo à economia da região, ajuda a manter negócios e valoriza os pequenos empreendedores.

Faz parte do consumo consciente também, ser crítico quanto a origem e procedência do que compramos e sobre as políticas de responsabilidade social e ambiental das empresas. Nesse ponto da procedência, origem e fabricação, faz uma diferença enorme quando começamos a selecionar os resíduos, ainda que na nossa cidade não haja coleta seletiva por parte do poder público, mas nós podemos separar o material descartado na nossa casa para a reciclagem e isso nos faz observar com mais atenção o que estamos consumindo.

E também nos ajuda a evitar o desperdício. Esse é um gravíssimo problema no nosso país, que já possui tantas desigualdades, tantas pessoas em situações de fome e miséria e mesmo assim, nós desperdiçamos a grande abundância que a natureza nos oferece.

Precisamos evitar o desperdício de qualquer recurso com todas as nossas forças. Lembre-se que cada grão de comida, gota de água ou mesmo energia que desperdiçamos são centavos do nosso bolso que estão indo parar na lixeira.

É importante frisar que sim, a nossa mudança de atitude, ainda que pareça pequena, faz a diferença. Por isso, reavalie seus hábitos, repense, se disponha a fazer a sua parte. Evite o desperdício, a contaminação e o esgotamento de recursos. Lembre-se que hoje o mundo já consome mais recursos naturais do que a capacidade de renovação da Terra. E toda vez que causamos um dano ao planeta em que vivemos, estamos causando a nós mesmos, direta ou indiretamente.

Raíla Maciel

Leave a Comment