Vamos falar sobre escolhas. Somos realmente livres para decidir?

Será que somos realmente livres? Fazemos aquilo que queremos? Se não, o que nos impede? Se a liberdade é um direito inerente ao ser humano, independente de sua condição, o que limita as nossas escolhas?

Para responder isso, precisamos voltar nosso olhar para dentro. Buscar as respostas só em fatores externos pode nos fazer cair na armadilha da vitimização. Ganhamos mais trazendo para nós mesmos essa responsabilidade.

Até porque para que haja uma mudança real na sociedade é preciso que ela ocorra PRIMEIRO DENTRO de nós.

E sendo bem sinceros na reflexão vamos nos dar conta que, na maioria das situações, a nossa liberdade é limitada por fatores internos. São as nossas próprias resistências que nos impedem de tomar as decisões que queremos para nossas vidas.

Você consegue identificar quais são as suas principais limitações?

Todos nós temos preconceitos, medos, dogmas, crenças limitantes e outros entraves psicológicos que são os primeiros a nos aprisionar.

Para constatarmos o quanto exercemos a nossa liberdade, podemos fazer as seguintes perguntas:

  • O que mais pesa na hora que eu tomo uma decisão? Minha própria vontade ou a ideia do que os outros vão pensar de mim?
  • Quantas coisas eu faço na minha vida porque eu realmente amo e quero?
  • Quanto de energia eu dedico para realizar meus sonhos?

Parecem perguntas aleatórias, mas elas podem trazem uma grande revelação, se forem respondidas com honestidade. Sendo muito sinceros perceberemos que nem sempre exercemos plenamente a nossa liberdade.

O MEDO

Este é o personagem que mais nos impede de sermos realmente livres. Quantas de nossas decisões (ou melhor, a falta delas) são baseadas no medo?

Por conta dele, decidimos permanecer em relacionamentos, empregos, religiões e muitas outras situações desconfortáveis. É comum nos abstermos de qualquer atitude por medo das conseqüências.

Quantos sonhos já deixamos de seguir por medo?

Quando falamos de realização é fácil perceber que muitas vezes nos falta coragem honrar nossas próprias escolhas.

Quantas e quantas mulheres abafam suas capacidades, seus talentos, sua verdadeira vocação para atender a uma expectativa, muito embora ela não se sinta feliz? Quantos anos passamos sendo mutiladas para nos encaixar em padrões extremamente limitantes?  Quantas vezes nos sentimos, de fato, livres para tomar as nossas decisões e seguir a nossa própria consciência?

Quantas vezes sentimos medo de sermos nós mesmas?

É por medo que nós procuramos a segurança de um trabalho que não nos faz feliz. É por medo que não investimos em nossos próprios talentos. É por medo que abandonamos as nossas vocações. É por medo que nos forçamos a fazer coisas que vão contra os nossos princípios também. É por medo que desistimos antes mesmo de tentar.

Precisamos ser donas das nossas escolhas, cristalizar nossos sonhos.

Para que possamos vencer juntas esse obstáculo vamos fazer deste um espaço de reflexão e inspiração. Aqui vamos compartilhar as histórias de mulheres que conseguiram tirar seus projetos da cachola e dar vida aos seus sonhos. A intenção é que o exemplo e a experiência delas nos motivem a correr atrás das nossas realizações.

Também vamos criar um conteúdo cheio de dicas e ferramentas que nos permitam saber como lidar com os desafios que aparecerem ao longo dessa caminhada. Porque sim, eles vão aparecer. Mesmo fazendo aquilo que amamos e estando no lugar que queremos estar vamos enfrentar dificuldades. A diferença é que com amor tudo fica mais fácil de vencer.

Espero que seja de grande contribuição para o trabalho de todas nós!

Leave a Comment